6 comportamentos que irão mudar pós-COVID-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Após a superação das crises há sempre muitas mudanças de comportamento, seja por parte dos consumidores, quanto do próprio mercado. Principalmente em se tratando de como o comércio se adapta às novas formas de consumo e às novas necessidades dos consumidores. 

Desse modo, como estamos passando pela crise do Coronavírus, vale a pena observar algumas tendências. Até porque, preparar-se para as mudanças de comportamento pós-coronavírus já é uma forma de sair na frente.

Sabendo disso, pesquisamos e estudamos sobre os principais rumos que o mercado irá tomar para que você possa, desde agora, planejar-se da melhor forma possível. Afinal de contas, as empresas que agirem na hora certa, não serão engolidas pela crise. 

6 comportamentos que irão mudar pós-COVID-19

🛒💻1. Consolidação do varejo digital 

Devido às medidas de segurança voltadas à prevenção contra o coronavírus, a maioria das lojas físicas estão com as portas fechadas. Desse modo, a compra online se tornou prioridade, pois é a forma mais adequada e segura de adquirir um produto durante a pandemia. Isso, porém, gera uma corrida para digitalizar os negócios que ainda não estão on-line. Afinal, as empresas precisam reduzir ao máximo os prejuízos causados pela pandemia e nesse mercado as oportunidades são bem maiores.

Portanto, após esse período, é esperado que o varejo digital fique ainda mais presente na vida dos consumidores como o varejo físico. Até porque, seja pelo preço mais competitivo ou pela comodidade oferecida, esse mercado é tão relevante quanto o off-line.

Nos anos anteriores, o mercado on-line manteve crescimentos anuais na casa dos 20% no Brasil. Contudo, a quarentena gerou uma explosão de vendas on-line com um crescimento em todos os setores. De acordo o levantamento da Ebit/Nielsen, entre os dias 19 e 25 de março:

  • houve 96% de crescimento no “varejo de autosserviços” (que são os supermercados);
  • todo o comércio digital subiu 13%;
  • participação dos mercados no setor foi de 4% para 7%.

📈2. Melhora na logística, marketing e atendimento das lojas online

Em conjunto à consolidação do varejo online, as estratégias de logística, marketing e atendimento das lojas online vão se aprimorar. Isso ocorrerá por conta do aumento da concorrência.

Desse modo, todo o processo de compra e venda será otimizado, desde atração do consumidor à entrega dos produtos. A exemplo disso, é possível notar a ampliação das possibilidades de entrega com a utilização de novas transportadoras e modalidades.

Conheça: 5 dicas indispensáveis para um e-commerce de sucesso.

👨‍🏫3. Fortalecimento da educação do mercado

Com a crescente busca por compras online, cresce a cada dia o número de novos consumidores comprando pela primeira vez. Desse modo, esses usuários precisam de instruções e canais cada vez mais intuitivos.

A educação do mercado, porém, não se limita em apenas mostrar o caminho para comprar, mas de estimular o interesse. Por isso, a produção de conteúdos relacionados ao interesse de cada usuário é tão importante e gera diversos benefícios comerciais.

  • O primeiro deles é a nutrição da necessidade e das vantagens de se adquirir um determinado produto. Isso pode ser feito através de conteúdos que esclarecem quais são as soluções para aliviar as dores do consumidor ou como aquele produto pode ser fundamental para ajudá-lo nesse processo. 
  • Um outro benefício gerado pela produção de conteúdo é a fidelização desse consumidor, visto que a marca passa a estar cada vez mais presente na sua vida. 

Por fim, essa estratégia resulta no aumento das vendas, por isso não vai demorar muito para ser ainda mais difundida.

✔️4. Produtos cada vez mais interativos, multifunções e adaptáveis

Produtos interativos, multifunções e adaptáveis estão ganhando muito o interesse dos usuários que prezam pelo custo-benefício. Isso porque eles ajudam o consumidor a economizar, entregando um maior número de funções e aplicações em um único aparelho. 

Para entender melhor essa tendência, basta observar o mercado dos smartphones. Os aparelhos com mais funções vendem mais pelo simples fato de possibilitar mais em um único produto. Logo o seu custo-benefício tende a ser recompensador, o que o torna aplicável a qualquer outro segmento.

Considerando que, na recuperação da crise, a tendência é o foco no custo-benefício, produtos assim serão uma forte tendência.

😷5. Maior atenção à higiene 

A higiene nunca foi tão necessária como no período da pandemia. No entanto, essa preocupação vai se manter. Isso porque os consumidores estão levando em conta os riscos de contaminação.

Dessa forma, as empresas que garantem produtos higienizados ou até mesmo esterilizados poderão vender mais. Afinal, essa já é uma das maiores preocupações dos usuários e terá relevância também após a crise do coronavírus.

💼🏠6. Consolidação do home office

Outra mudança e adaptação acelerada com a quarentena foi a consolidação do home office. Isso porque, apesar de já ser natural em algumas empresas, o trabalho a distância ainda era discriminado por outras.

Agora, com o home office sendo uma das poucas formas de dar continuidade aos trabalhos, essa modalidade está se consolidando. Portanto, após o coronavírus, mesmo que boa parte do trabalho se mantenha presencial, trabalhar a distância deixará de ser tabu. Isso vale tanto para os empresários como para os consumidores.

Agora que você conheceu quais os comportamentos que irão mudar pós-COVID-19, se prepare para transformar o seu negócio. Analise cada uma das tendências de mercado e veja como a sua empresa poderá sair na frente. Esperamos ter lhe ajudado nesse processo de atualização das estratégias comerciais, até mais!

Artigos Relacionados