Data-driven: o que sua empresa tem a ganhar? Aprenda com o Google!

Data-driven se tornou uma expressão muito usual para os negócios mais competitivos do mundo. O Google adota essa filosofia em todos os seus processos. Mas o que você tem a ganhar prestando a atenção nisso?
Independentemente do nível de maturidade ou setor em que atua, sua empresa certamente precisa de respostas mais claras para alguns questionamentos decisivos:

  • Qual cliente tem mais propensão a consumir o meu produto ou serviço?
  • De que maneira minha abordagem pode ser mais eficaz?
  • Qual o risco de oferecer crédito a determinado cliente?
  • Quais parceiros são confiáveis para trazer para junto da minha estratégia empresarial?

Talvez você não entenda de tecnologia e, por isso, esteja pensando que seu negócio é diferente. Mas reflita sobre essa pergunta bem direta: ainda existe um mercado no qual o Google não esteja envolvido?
Suas funcionalidades hoje são indispensáveis em quase tudo: buscas, celulares Android, mapas, troca de e-mails… A lista é tão longa que nem faria sentido lembrar todas elas aqui.
Percebe como a empresa, criada em 1998 por dois jovens que frequentavam a Universidade Stanford, já atingiu uma receita anual de US$ 100 bilhões? E o conceito de data-driven é central em todas essas ferramentas, assim como também é para o Facebook, WhatsApp, Instagram e qualquer outro negócio que deseja se manter competitivo nos próximos anos.
Por isso, a intenção deste artigo é abordar as velozes mudanças na relação entre consumidores e empresas como a sua.

Afinal, o que é data-driven?

O conceito de data-driven (orientado a dados) diz respeito à coleta sistemática de informações. Elas podem vir de dentro da própria empresa, do mercado ou diretamente dos clientes.
Além de reunir o máximo possível de dados, eles devem ser analisados para orientar as decisões e gerar riqueza para a empresa.
O data-driven não fica restrito ao marketing, mas deve influenciar todos os setores da empresa. Ao promover um fluxo confiável de informações no ambiente interno, os processos se tornam menos demorados e cansativos.
Por outro lado, o monitoramento das tendências contribui para um melhor entendimento de cada etapa da jornada de compra, oferecendo uma melhor experiência para o consumidor. Da mesma forma que os dados orientam mudanças no marketing, conforme o desempenho das campanhas.

Filosofia de atuação

Os arquivos eram privados nas empresas tradicionais. Eles permaneciam em pastas internas do computador, com acesso restrito. Aplicando a filosofia do data-driven, a maior parte das informações fica na nuvem, democratizando o acesso a elas.
Isso faz germinar processos mais horizontais de trabalho, com autonomia dos colaboradores, que passam a não depender de um gestor. Todos compreendem a cultura interna da empresa e as decisões deixam de ser personalistas.
Forma-se uma inteligência coletiva, com reuniões periódicas para manter a equipe alinhada. Além disso, os relatórios são mais acessíveis e de fácil compreensão.
Essa atualização permite que muitos processos, que antes eram manuais, sejam automatizados. Uma mudança que promove ganho de escala, agilidade e menor custo.
No que diz respeito aos consumidores, deve haver transparência para que as pessoas se sintam seguras ao disponibilizarem suas informações.
Por isso, sempre ofereça aos usuários maneiras claras de controlar as informações que serão coletadas e armazenadas.

Benefícios para o Marketing

A utilização de tecnologias data-driven ajuda os profissionais de marketing a atingirem melhores resultados. Monitorando as informações, eles antecipam tendências de mercado e se tornam mais conscientes daquilo que o público realmente deseja.
As plataformas de anúncios do Google são ótimos exemplos de como isso acontece na prática. Nelas, os compradores direcionam seus investimentos com precisão crescente. Escolhendo, inclusive, se preferem pagar por cliques, impressões ou outra referência.

Consumidor e mensagem

A coleta de informações nas plataformas data-driven permite um nível de segmentação que nunca se viu antes. Quando um patrocinador anunciava na TV, tinha uma expectativa que o público de determinado horário tivesse uma característica. Se as pesquisas para medir isso eram caras e esporádicas, hoje elas acontecem em tempo real.
Sabendo melhor a quem a mensagem é dirigida, o anunciante também podem melhorar o conteúdo, que se torna mais relevante. Isso fortalece a conexão entre as pessoas e as marcas, que é o ativo mais precioso de qualquer empresa.

Performance de marketing

Além do mais, tornou-se mais fácil a realização de testes A/B, quando uma variável é isolada ao se apresentar duas versões da mesma peça, identificando qual performa melhor.
Avaliando as taxas de conversão e rejeição, as campanhas podem ser otimizadas, alcançando melhor desempenho. A consequência natural de todas essas otimizações é um retorno cada vez melhor para o investimento realizado em marketing.

Sua empresa tem muito a ganhar

Abordamos, aqui, as principais características e benefícios que o data-driven pode trazer para a sua empresa. E você também viu exemplos de plataformas em que essa filosofia é aplicada na prática.
Não importa qual seja o segmento de atuação do seu negócio, ele certamente envolve pessoas, processos e tecnologia. Por isso, invista nesses três pilares fundamentais para se manter competitivo em um cenário de transformações.
E, se você tem alguma dúvida sobre os assuntos tratados aqui, deixe seu comentário!

Deixe um cometário



Comentários:


Autor: Design Sprint: o que é, como funciona e por que a sua empresa precisa? - Agência Life - Propaganda, publicidade, marketing digital, e-commerce

Comentário:
[…] Data-driven: o que sua empresa tem a ganhar? Aprenda com o Google! […]

Data: 07/12/2018